Duna: tudo o que sabemos sobre o filme

Duna Filme

Duna promete ser um blockbuster diferente e imperdível

Denis Villeneuve é o cara que consegue aliar a escala do blockbuster com a vibe cult. A Chegada Blade Runner 2049 revelam um tipo de épico muito particular do cineasta canadense. Duna promete ir nessa mesma fonte. O escopo é gigante, mas não parece o tipo de superprodução que se escora nos efeitos computadorizados. Então, ao que tudo indica, a trama e os personagens da saga literária serão mantidos e misturados a efeitos práticos e locações reais.

O que é?

Baseado no clássico Duna, de Frank Herbert, o longa acompanha Paul Atreides (Timothee Chalamet), cuja vida é transformada quando é obrigado a deixar seu planeta local.  Assim, ele vai para Arrakis, o Planeta Deserto, que possui uma especiaria cobiçada em toda a galáxia. Envolto em intrigas que envolvem famílias poderosíssimas, que comandam os planetas, Paul é treinado para ser a salvação de um plano secular.

Nesta perspectiva, Duna é difícil de categorizar ou resumir. Sua trama é tão complexa que o livro é considerado um dos mais difíceis de se adaptar. Com tantos nomes, personagens, idas e vindas, intrigas e reviravoltas, fica difícil acompanhar e resumir tudo. É por isso que muitos já tentaram levar a história às telas, falhando miseravelmente. É por isso, portanto, que Duna será dividido em duas partes no Cinema.

Quem faz?

Denis Villeneuve é um dos melhores diretores da atualidade. Sua filmografia, aliás, é impecável e vai desde dramas intimistas como Politécnica, Incêndios O Homem Duplicado, passando por suspense como Os Suspeitos e chegando em superproduções como Blade Runner 2049. Duna pode ser o ponto alto de sua carreira já cheia deles.

O elenco é incrível: além de Chalamet, temos Oscar Isaac e Roberta Ferguson, como pais de Paul, Josh Brolin como seu treinador, Jason Momoa como amigo e guia, Stellan Skarsgard e Dave Bautista como vilões e Javier Bardem e Zendaya como nativos de Arrakis. A jovem, é claro, surge como interesse romântico do rapaz.

Além disso, o roteiro fica a cargo de Villeneuve, Jon Spaihts (Prometheus, Doutor Estranho) e Eric Roth (Nasce uma Estrela, O Curioso Caso de Benjamin Button, Munique, Forrest Gump).

DunaS

Duna não é um filme, mas dois, para garantir fidelidade e organização. E ainda, criando uma experiência mais satisfatória – e lucrativa. Igualmente, o livro tem uma clara divisão na metade, o que facilita a estrutura dos filmes.

Desta forma, grande desafio, aqui, é equilibrar as cenas de ação com os longos diálogos e intrigas palacianas. Pesado, com uma mitologia extensa e intrincada, parece o material perfeito para Villeneuve, que mostrou grande habilidade para mesclar introspecção com aventura e impacto visual.

A segunda parte não tem data de lançamento e é um risco enorme para o estúdio. Caso o público não compre o primeiro, o segundo longa pode sofrer ainda mais. No entanto, lembre-se que apesar de 2049 ser excelente, o sucesso financeiro ficou bem abaixo do esperado.

E depois?

Depois tem a segunda parte. E quem sabe mais adaptações? Duna se estende por mais livros, escritos pelo próprio Herbert e por outros autores. Todos revelam enormes dificuldades para quem decidir adaptá-los.

O estúdio está confiante e já encomendou uma série, Dune: The Sisterhood, para a HBO Max. O grande problema, no momento, para Duna e todas as outras produções ao redor do mundo, é a incerteza. A previsão de lançamento é dezembro de 2020, mas será possível? Os cinemas estarão liberados até lá? 

E então, você está animado para o longa? Deixe nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *