Mais que ator, um ícone: relembre Chadwick Boseman

Chadwick Boseman

Chadwick Boseman lutava contra um câncer e faleceu na última sexta-feira. Seu legado é notável.

Com um papel, Chadwick Boseman se tornou um ícone. Assim, experimentou o que a massiva maioria dos seres humanos jamais terá: a sensação se ser o rosto de uma causa, o herói de uma parte da sociedade que sempre foi excluída da grande mídia, das telas dos cinemas. Como Pantera Negra, Boseman tornou-se o herói além da ficção. Protagonizou um dos maiores sucessos de bilheteria da história e o primeiro longa de super-heróis indicado ao Oscar de Melhor Filme. Parece pouco, mas é surreal se notarmos o tamanho da filmografia do ator.

Analisar a filmografia de Boseman, aliás, é perceber um ator em total afinação com seus gostos, estilo e objetivos. Logo, percebe-se rapidamente que Chadwick buscava projetos relevantes, de roteiros e produções caprichadas. Desta forma, o astro queria criar uma imagem para si, uma carreira para se orgulhar. Em um espaço curtíssimo de tempo, conseguiu.

A segurança de um ator centrado e talentoso

Partiu na última sexta-feira, 28 de agosto de um 2020 já cheio de tragédias. O câncer com o qual lutava desde 2016 ceifou-lhe a vida. O mundo recebeu a notícia em choque. Ninguém na mídia sabia da condição de Boseman, o que só comprova a ideia de que Chadwick se preocupava com a sua imagem, com seus fãs e o que representava para todos. Assim, talvez entendesse que ele não era mais apenas um ator, mas um ícone, um símbolo.

Como artista, era o tipo de ator confiável, daqueles que passam segurança e seguram qualquer barra. Ter Chadwick no elenco, portanto, é saber que ele vai fazer um bom trabalho e o público vai notar e reagir a isso. Sem instabilidades, era o coadjuvante perfeito e o protagonista ideal. É o rosto de Pantera Negra, mas sempre soube dar espaço para seus colegas brilharem.

Primeiros passos na TV e meteórica ascensão no Cinema

Tendo começado na TV, Boseman mostrava desde o início ser um ator talentoso e confiável. Prova disso é que foi chamado para breves participações em quase todos os sucessos dos anos 2000. Nesta perspectiva, apareceu em episódios de Law & Order, CSI: NY, E.R., Cold Case, Lie to Me, Castle, Justified, Fringe, entre outras.

Foi em 2013, então, com o filme 42 – A História de uma Lenda, que Boseman começou sua escalada ao estrelato do Cinema. A partir daí, participou de outro filme de esportes, desta vez como coadjuvante de Kevin Costner no ótimo A Grande Escolha. Em seguida, deu vida a nada menos que James Brown, na cinebiografia Get on Up.

Em 2016, justamente o ano em que descobriu a doença, iniciou sua caminhada no Universo Cinematográfico da Marvel. Como Pantera Negra, começou em Guerra Civil. Antes de partir para o ápice de sua carreira, ainda encontrou tempo para dois dramas menores, mas reconhecidos: King – Uma Mensagem de Vingança Marshall.

Sucesso absoluto de público e crítica

A partir daí vieram Pantera Negra, Guerra Infinita Ultimato. Depois estrelou um filme de ação menor, mas com ótimo retorno do público: Crime sem Saída. Para completar, sua última aparição foi naquele que, até agora, é o melhor filme de 2020: Destacamento Bloodde Spike Lee.

Despediu-se deixando uma obra-prima para trás. Não poderia ter um canto dos cisnes melhor que Destacamento Blood. Caso observemos a trama e as imagens do filme, tudo fica ainda mais emocionante. Na história, um grupo de senhores retorna ao Vietnã para recuperar o corpo de seu companheiro de batalha, que ficou para trás (Boseman). Em vários momentos vemos Boseman em uma atmosfera nostálgica, quase etérea, cercado por uma fotografia que deixa tudo com jeito de sonho, de lembrança.

Os 5 momentos de Chadwick Boseman:

1 – Pantera Negra

Alguns fogem do estigma de ser lembrado por apenas um papel. Boseman tem uma carreira belíssima e será recordado por outros papéis. Não é problema algum, entretanto, ser o eterno Pantera Negra.

2 – Destacamento Blood

De Spike Lee, é o melhor filme do ano até agora. Impecável do visual ao roteiro, passando pelo elenco poderoso. Boseman rouba a cena sempre que surge.

3 – 42 – A História de uma Lenda

Antes de viver um super-herói dos quadrinhos e uma lenda da música, Boseman foi Jackie Robinson, jogador de baseball que, com talento sublime, calou racistas detratores.

4 – Get on Up

A prova definitiva dos talentos dramáticos e musicais de Chadwick. Desta forma, dá vida a James Brown sem ceder ao peso da tarefa.

5 – Marshall

Aqui, Boseman é o primeiro juiz afro-descendente da Corte Suprema Americana. Novamente dá voz a uma causa e traz conflitos sociais para o centro do debate, algo que fez com frequência em seus filmes.

1 comment on “Mais que ator, um ícone: relembre Chadwick Boseman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *