Missão: Impossível – Efeito Fallout: um dos melhores filmes de ação chega à TV aberta

Missão: Impossível

A grande sacada da saga Missão: Impossível é que ela se molda conforme o estilo dos filmes de ação da época em que é produzida. Note, por exemplo, como os primeiros três filmes são a síntese do que era produzido em seus anos de lançamento. O primeiro exemplar resume os filmes de ação noventistas, ao passo que o segundo sintetiza os exageros típicos do início dos anos 2000. Já o terceiro título, comandado por J.J. Abrams, comprime tudo o que era feito pouco antes de 2010. Ao entender o mercado, o público e os estilos, Missão conseguiu se renovar e permanecer relevante.

Tom Cruise e sua franquia viram séries nascerem e morrerem. Veio Velozes e Furiosos, Bourne, Transformers e mais uma porção de produções. Embora a saga com Vin Diesel perdure, é visível a falta de mudança de um título para outro. Missão: Impossível, entretanto, propõe uma aventura e um conceito diferentes a cada investida. Nesta perspectiva, Efeito Fallout, último exemplar da lista, é o melhor filme da saga e chega cercado de expectativa à TV aberta.

Números e tornozelos

Na trama, Ethan Hunt tenta recuperar uma carga de plutônio roubada. Prestes a resgatar o material, o agente precisa tomar uma decisão: completar a missão ou salvar sua equipe. Logo, em uma escolha humana, Hunt opta pelos parceiros, vendo o plutônio ir parar nas mãos de perigosos vilões, determinados e criar bombas de destruição em massa. Dirigido por Christopher McQuarrie, Fallout ainda traz Henry Cavill inspirado no papel de um dos vilões mais interessantes da franquia.

Tom Cruise, vale apontar, novamente demonstrou total comprometimento à produção. Para a sequência do salto do avião, por exemplo, Cruise treinou por um ano. A briga do banheiro, foi programada para uma produção de quatro dias. No entanto, acabou em quatro semanas, tamanha a complexidade da coreografia.

A complexidade da produção se revela nos números: foram 13 helicópteros, 5 hiatos, 4 semanas de filmagens aéreas, 3 continentes, 2 invernos, seis mulheres da equipe grávidas e 1 tornozelo quebrado.

O tornozelo, aliás, já é famoso. Durante uma sequência de ação, Tom Cruise, que dispensa dublês, pulou de um prédio a outro. Segundo o ator, a cena era simples e fácil. Alguns centímetros fora do prumo, porém, e o astro quebrou o tornozelo com uma pancada violenta. Desta forma, caso você preste atenção, verá o ator mancando assim que consegue subir na cobertura do prédio, pois a sequência foi para a versão final do filme. A produção foi suspensa por oito semanas para que Cruise pudesse se recuperar.

Bigodes e heróis

Além de um tornozelo, outra coisa que ficou famosa foi um bigode. Henry Cavill estava proibido por contrato de tirar a barba. O resultado ficou mundialmente famoso: o ator entrou na produção de Missão: Impossível assim que saiu de Liga da Justiça. É comum em produções deste tamanho, entretanto, regravações. Assim, o ator foi convocado para gravar novas cenas na superprodução da DC. O problema é que o bigode estava cultivado e nada podia ser feito. O resultado pode ser visto em Liga da Justiça: o tal bigode foi retirado na pós-produção, através de efeitos visuais. O produto final é absurdo.

Bombas, tornozelos, bigodes e muito mais podem ser conferidos nesta segunda-feira, 18, na Tela Quente da Rede Globo. Vale a pena ver de novo, ou pela primeira vez.

Nota

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *