Os 7 melhores filmes sobre serial killers

Serial killers

A psicologia tenta explicar a nossa obsessão por violência e, em particular, serial killers. Existe até um nome para o tal vício e é realmente surpreendente como a “indústria” dos assassinatos rende tantos produtos com o passar do tempo. Apesar do termo serial killer ter sido cunhado na década de 1970, os assassinos em série despertam o interesse da população desde sempre. Jack, o Estripador, por exemplo, gerou furor nas ruas de Londres e é considerado um dos nomes mais emblemáticos da história há mais de um século.

A prova da popularidade destes monstros é a quantidade de filmes, séries e livros que surgem a cada semana. Nesta perspectiva, a Netflix tem lucrado bastante com estas produções. Só em 2021, duas minisséries documentais já renderam burburinho na internet. A primeira, Night Stalker, remonta o caso de um dos assassinos mais cruéis dos Estados Unidos. A outra, Crime Scene, não apresenta nenhum serial killer, mas brinca com a sede do público por mistérios e crimes.

Desta forma, aproveitando a fama destes casos, montamos uma lista com sete filmes sobre serial killers. Antes de partirmos para a lista, alguns avisos: buscamos citar filmes que se baseiam em assassinos reais, direta ou indiretamente. Halloweende John Carpenter, é melhor que O Massacre da Serra Elétrica, mas o longa de Tobe Hooper bebe mais na realidade do que o clássico com Jamie Lee Curtis. Além disso, não repetimos títulos de um mesmo diretor. Seven, por exemplo, é uma obra-prima, mas optamos por listar outro filme de David Fincher, pois é baseado em fatos. Evitamos, também, filmes que usem elementos sobrenaturais ou sejam puramente escapistas, como Sexta-Feira 13 ou Pânico.

A lista não possui ordem específica. Bons pesadelos.

O Massacre da Serra Elétrica

Clássico do terror, O Massacre da Serra Elétrica parece se basear em vários casos reais, além de beber na fonte do medo crescente dos anos 1970. Uma das principais teorias apontam para Sawney Bean, canibal que pode ter matado mais de mil pessoas entre os séculos XV e XVI na Escócia. Bean inspirou outros longas, como Quadrilha de Sádicos, e serviu de base para Massacre. Além de canibal, o sujeito foi líder de um clã, função que se assemelha ao que vemos no longa de Tobe Hooper. Assim, Massacre estabeleceu diversas regras para o Cinema de horror, virando referência e sendo um dos principais títulos da linha independente. Seu impacto pode ser sentido até hoje e poucos conseguem repetir a insanidade impressa em cada frame.

Zodíaco

O mais assustador acerca do Zodíaco é que ele nunca foi pego. Até mesmo sua identidade segue um mistério. Apesar de algumas teorias fortes apontarem para um homem, jamais teremos certeza acerca da autoria dos crimes. No longa de David Fincher, portanto, acompanhamos um grupo de jornalistas que tentam desvendar os mistérios do Zodíaco, passando anos debruçados sobre pistas e documentos que podiam indicar a identidade do serial killer. Uma das características mais marcantes do assassino, aliás, é o envio de cartas codificadas, relatando os crimes ou simplesmente provocando a polícia e a imprensa, que falham dia após dia na busca pelo criminoso. É uma das várias obras-primas de Fincher que merecem ser descobertas.

O Silêncio dos Inocentes

Único filme de terror a vencer o Oscar de Melhor Filme, O Silêncio dos Inocentes é uma obra-prima absoluta. Jonathan Demme não só extraiu duas performances magistrais de Jodie Foster e Anthony Hopkins como criou um estilo próprio e uma lógica visual inimitáveis. Seus closes são belíssimos e só são igualados pela frieza com que acompanha os crimes brutais de Buffalo Bill, claramente inspirado em Ed Gein. O Silêncio dos Inocentes é um dos primeiros filmes a abordar o tema de serial killers de forma séria e adulta. O roteiro, assim como o livro no qual se inspira, traz importantes elementos sobre a ciência que analisa o comportamento destes assassinos, sendo uma das primeiras e principais produções a elucidar ao público a abordagem destes criminosos. De brinde, temos um dos maiores vilões da história: Hannibal Lecter.

Memórias de um Assassino

Assim como Zodíaco, de David Fincher, Memórias de um Assassino, de Bong Joon-Ho (Parasita) é um drama que apela aos personagens e à narrativa lenta para contar uma história real e sem desfecho. Considerado o primeiro serial killer da Coréia do Sul, o assassino retratado no filme jamais foi pego e sua identidade até hoje é um mistério. Uma das sacadas mais bacanas é a cena final, onde o detetive protagonista quebra a quarta parede e encara o público. Segundo o direto, a cena tem por objetivo olhar para o assassino, provavelmente vivo e em liberdade durante o lançamento da fita. O detetive olha para fora e espia sua nêmesis.

Eu Vi o Diabo

Um dos melhores filmes sul-coreanos (e isso quer dizer muito), Eu Vi o Diabo traz uma abordagem totalmente diferente da que é normalmente utilizada. Aqui, sabemos a identidade do assassino desde o início. Além disso, o mocinho captura o criminoso logo em seguida. Mas este não é o fim da história. Acontece que o “herói” da história era casado com uma das vítimas do serial killer e decide se vingar lenta e violentamente. Assim, começa uma caçada de um lado e uma luta pela sobrevivência de outro. Brutal, Eu vi o Diabo é um show de direção, atuações e provocações. Quem é o “diabo”, até que ponto nosso heroísmo e senso de justiça deve ir. Aliás, qual a diferença entre justiça e vingança?

O Silêncio do Lago

Stanley Kubrick categorizou O Silêncio do Lago como um dos filmes mais aterrorizantes de todos os tempos. E o mestre está totalmente certo. The Vanishing é um enervante e devastador suspense acerca de um desaparecimento. Dividido em três atos muito claros, o filme primeiro acompanha o casal que é vítima, com a moça desaparecendo em plena luz do dia. O segundo ato surpreende por focar no assassino, acompanhando seus passos até executar o crime. A terceira parte fecha o pacote e não deixa pedra sobre pedra ao unir os dois núcleos. O final é de tirar o fôlego e encerra aquele que talvez seja o título mais assustador desta lista.

Do Inferno

Subestimado, Do Inferno pode não ser uma grande adaptação da obra de Alan Moore, mas certamente é um bom suspense. Da época em que o Johnny Depp ainda atuava, o longa explora uma interessante teoria acerca de Jack, o Estripador. Assim como outros assassinos desta lista, Jack jamais foi capturado e sua identidade segue um mistério até hoje, mais de um século depois. Algumas suposições chegam perto da verdade, mas nunca a esclarecem de verdade. Presume-se, por exemplo, que o assassino tinha vastos conhecimentos médicos, pois seus cortes eram precisos. Além disso, é provável que fosse um homem rico, pois deixava cachos de uvas ao lado das vítimas. Uvas eram caríssimas na época. Certeza nunca teremos, mas tanto a HQ original quanto o filme tentam jogar luz em um dos casos mais notórios da história.

Nota

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *