Sete filmes imperdíveis na Disney+

Disney

A Disney+ chegou ao Brasil cercada de expectativa. Depois de estrear nos Estados Unidos como um sucesso, a plataforma de streaming chega ao país mostrando todo o poderio do estúdio. Estão no catálogo todos os filmes da Marvel, Star Wars, Pixar, History Channel, além de produções originais da empresa e exclusividades da plataforma online.

É claro que o catálogo está em constante desenvolvimento, e muitos torceram o nariz para a quantidade de títulos disponíveis. Causa certo baque, também, o teor “family friendly” da plataforma. Nada de filmes de horror, suspense ou dramas adultos. A grande maioria é formada de animações e aventuras leves. Os blockbusters estão lá, assim como uma porção de clássicos da Sessão da Tarde.

Aqui, você acompanha sete filmes imperdíveis que você encontra no catálogo da Disney+. Para construir a lista, selecionamos um filme de cada segmento: uma animação clássica, um Pixar, um Star Wars, um live action, etc.

Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível 

O fato é que Christopher Robin é, de muito longe, o melhor live action inspirado em uma animação da Disney. Nem Rei Leão nem Aladdin são filmes tão bonitos, complexos e bem resolvidos como a adaptação dirigida por Marc Foster. Caprichando na fotografia e na direção de arte, Robin é um deleite visual. Além disso, o longa tem uma invejável envergadura emocional, podendo tocar tanto os pequenos quanto os mais velhos, que encontrarão uma bela ligação com o personagem central. É uma das investidas mais ousadas e artisticamente relevantes do estúdio da última década, e dizemos isso sem medo de errar.

Duelo de Titãs

Ao lado de Friday Night Lights, Duelo de Titãs é a melhor peça de audiovisual sobre futebol americano deste século. O drama protagonizado por Denzel Whasingon sabe aliar o dinamismo e a tensão dos jogos com os dilemas pessoais dos jogadores e técnicos do time central. É um dos melhores exemplos de live action produzidos pelo estúdio: abordagem familiar, com grande qualidade técnica e facilidade em emocionar. Assistir ao filme nos dias de hoje traz uma diversão extra: encontrar rostos jovens que, hoje, são famosíssimos. Além disso, Washington cria uma ótima parceria com Will Patton, o que garante a segurança e o peso dramático de uma fita que merece ser redescoberta.

Edward Mãos de Tesoura

O melhor filme de Tim Burton – e um dos mais marcantes da infância de muita gente – está na Disney+. Edward Mãos de Tesoura é a síntese de tudo o que há de bom no cinema do cineasta. Além da força técnica e visual, a primeira parceria do diretor com Johnny Depp tem um forte apelo emocional, algo que não aparece em outros títulos de Burton, que tende a optar por uma abordagem mais racional e direta. A história do jovem que tem lâminas no lugar de dedos é poesia pura, e a química entre Depp e Winona Ryder é uma das mais memoráveis dos anos 1990. A trilha de Danny Elfman é daquelas marcantes e cada frame merece uma moldura.

Piratas do Caribe – A Maldição do Pérola Negra

A trilogia original de Piratas do Caribe, formada por Pérola, Baú da Morte No Fim do Mundo, dirigida por Gore Verbinski, é excelente. Os três primeiros filmes são épicos legítimos, daqueles que enchem os olhos e não envelhecem mesmo que o tempo passe e novas superproduções apareçam. A trilogia de Piratas é uma das franquias mais bem feitas do estúdio, o que não é pouco, já que falamos de Disney. As demais continuações, já sem o comando de Verbinski, são bobagens embaraçosas e pobres, mas os títulos iniciais merecem uma revisita. Além disso, é o papel da carreira de Depp, mesmo que tenha estragado o ator, que nunca mais fez algo diferente do que construiu aqui.

O Rei Leão

A Bela e a Fera foi a primeira animação indicada ao Oscar de Melhor Filme, mas foi O Rei Leão que marcou a década de 1990. Da música ao vilão, o sucesso do estúdio marcou gerações e segue firme no imaginário coletivo. O impacto é tão grande que nem o live action conseguiu imitar, mesmo com toda a tecnologia disponível para a criação das locações e animais. O Rei Leão é épico desenhado, com a clássica jornada do herói e uma porção de dilemas e ensinamentos morais.

Star Wars: Uma Nova Esperança

Mesmo com oito continuações, spinoffs, séries e animações, Uma Nova Esperança ainda é o melhor exemplar de Star Wars. O primeiro lançamento da franquia funciona mais do que qualquer outro por manter as coisas simples. Trata-se de uma narrativa objetiva, que sai do ponto A, vai para o B, tem personagens bem definidos e recompensas muito claras. Toda a saga vale a pena, mas nada igualou a autenticidade e rusticidade do primeiro longa. Essa joia do Cinema, muito mais do que um simples blockbuster, pode ser revista à exaustão na Disney+, seu novo lar oficial.

Toy Story

Cada novo filme da Pixar é melhor do que o anterior, mas Toy Story é imbatível. Completando 25 anos em 2020, o primeiro lançamento do estúdio é daquele tipo de animação que agrada as crianças completamente e ainda conquista os adultos por inteiro. Quem nunca imaginou os brinquedos ganhando vida. Este é um dos cenários mais primários, já que a ideia básica dos bonecos e acessórios é justamente ganhar vida através de brincadeiras e histórias criadas pelas férteis imaginações infantis. Toy Story acabou ganhando três continuações e segue como um dos maiores marcos da história do Cinema de animação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *