Sexta do Terror: Pânico (1996)

Pânico

Pânico e o início de uma nova era

O gênero terror começou a ganhar força nos cinemas nos anos 70, entretanto foi na década seguinte que o auge veio. Filmes como Halloween, A Hora do Pesadelo, Sexta-Feira 13 e suas sequências tornaram-se campeões de bilheterias, por originarem os slash movies. O contexto de tais atrações era sempre o mesmo, com um psicopata cometendo uma série de assassinatos, e o filme tendo uma garota sobrevivente, denominada como final girl.

Na década de 90 surgiu então o medonho boneco Chuck e sua franquia, denominada Brinquedo Assassino. Contudo em 1996 chegava aos cinemas uma reinvenção daqueles clássicos citados no parágrafo anterior. Pânico trouxe uma química mais que certeira, com Kevin Williamson como roteirista, e o icônico Wes Craven como diretor.

Williamson é super fã de filmes de terror, entre eles Halloween, sua principal inspiração para o roteiro. Além disso, o produtor também se baseou no caso real do “Estripador de Gainesville”,um serial killer que matou cinco estudantes na Califórnia em 1989.

Hello, Sidney!

Pânico conta a história de Sidney Prescott, uma adolescente que perdeu a mãe de forma cruel. Quando completa-se um ano da morte dela, inicia-se uma série de assassinatos na cidade onde a garota mora, Woodsboro.

Estudantes locais começam a serem assassinados de forma cruel por um assassino mascarado, intitulado ghostface. Tal psicopata é obcecado em perseguir a jovem, que no primeiro ato do longa mostra-se uma garota assustada e com medo.

No entanto à medida em que a história vai se desenrolando, Sidney começa a mudar sua atitude. Após seu namorado, Billy, ser considerado o principal suspeito de tentar matá-la, a garota passa a viver na casa de sua melhor amiga, Tatum. Em contrapartida outros dois personagens foram evoluindo no ato seguinte do filme, o jovem policial Dewey e a ambiciosa jornalista Gale Weathers.

Outro ponto importante, que foi um dos diferenciais de Pânico, foi justamente as inúmeras referências aos grandes clássicos do terror. A mistura da originalidade que a história tinha com tais atrações de décadas passadas, trazia tal frescor ao roteiro. Contudo o enredo também contava com pitadas de humor, fazendo dele um slasher totalmente original.

Conclusão

O filme abusou do óbvio e previsível, com a revelação da identidade do ghostface, no caso sendo o namorado de Sidney junto com Stu, seu melhor amigo. A falsa morte do jovem foi a ponte de ligação no terceiro ato, que levou à grande verdade. A essa altura Sidney já estava distante do fardo de garota indefesa, assumindo finalmente seu lado final girl, construindo então o início de um poderoso legado.

Pânico fez um sucesso estrondoso, trazendo de volta o estrelado de Drew Barrymore, além de alavancar as carreiras de Neve Campbell e Courtney Cox – que na época estrelavam as séries Party Of Five Friends – além também de David Arquette, que acabou tornando-se o galã da época.

Sua reinvenção, misturada com previsibilidade e toques de humor renderam três continuações, que visitaremos em breve, assim como também uma versão em forma de série na TV. Além disso, um quinto filme já está em desenvolvimento.

Qual o seu filme de terror favorito? Deixe nos comentários e, além disso, continue acompanhando as novidades do mundo dos filmes aqui no Mix de Filmes.

Igualmente, nos acompanhe em nossas redes sociais: Instagram e Twitter.

Nota

2 comments on “Sexta do Terror: Pânico (1996)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *