TrilhaMix: Nos Tempos da Brilhantina

Hoje voltamos a década de 70, ou melhor, em 1978. Olivia Newton-John e John Travolta ainda no começo de suas carreiras, entram para uma produção histórica. Considerado um dos maiores musicais cinematográficos de todos os tempos, Grease marcou gerações. Não pense que o filme é apenas o sucesso para os fãs do gênero. Muito se fala até hoje da produção e do seu impacto na cultura de musicais. Sendo atemporal, Grease traz mais que uma novidade as telas, traz representatividade.

O que busca o adolescente?

Ainda que a temática musical esteja presente a todo momento, Grease não se conteve nas críticas sociais. O musical trabalha, por exemplo, um pouco da indecisão do adolescente sobre sua carreira. Muitos pensando em trabalhar e outros pensando em seguir graduando. Tanto que isso foi tema de uma das cenas lendárias do filme, na canção Beauty School Dropout. Além disso, a canção foi marcada pela aparição do ator Frankie Avalon no sonho da personagem Frankie.

Por mais que muitos acreditem que Grease é um filme white peoples problem, e ele é em grande parte, muito se discute na produção. A gravidez de Betty Rizzo é um tema de extrema importância para a sociedade da época. Além de levar informação sobre planejamento familiar e prevenção, ela trata sobre a realidade de abandono e imaturidade na faixa etária principal do filme. Mais um ponto de importante discussão que é atemporal aos dias de hoje.

Muita música e diversão!!

Mas o que marca a produção são suas músicas. As cenas de Summer Nights e You’re The One That I Want são regravadas e parodiadas até hoje. Consideradas por muitos como as duas melhores obras musicais do filme. Claro que há outras tão marcantes quanto, mas acredito que isso é discussão pessoal. O certo é que o ritmo envolvente não deixou ninguém parado. Justamente em uma época onde a música sofria diversas mudanças e os ritmos se diversificavam cada vez mais.

Com o orçamento inicial de US$ 6 milhões, o filme tem uma arrecadação impressionante de 396 milhões durante todos estes anos. A fim de comemorar seus 20 anos de estreia, o mesmo foi relançado nos Estados Unidos e Canadá no ano de 1998. De tal forma, com a facilidade de globalização e divulgação na mídia, o mesmo se consolida como a 7ª maior bilheteria musical live-action. Para uma produção de tantos anos, é uma posição inigualável.

Continuação e outras produções!!

Quatro anos depois, uma continuação vinha as telas. Todavia, não implacou da mesma forma. Estrelada por Michelle Pfeiffer e Maxwell Caulfield, Grease 2 não chegou perto do sucesso de seu antecessor. Então, poucos produtores resolveram se aventurar em uma representação da produção nas telas. Todavia, em 2013, com o sucesso de Glee e o pedido de diversos fãs, Ryan Murphy trouxe a produção de volta as telinhas. Após 04 anos da série, a readaptação foi um dos episódios de maior sucesso do seriado e ainda é aplaudido e comentado por diversos fãs.

Em 2016, Grease: Live! trouxe boas recordações com atores conhecidos da nova geração. Nomes como Julianne Hough, Aaron Tveit, Vanessa Hudgens e Carlos Pena Jr. compunham o novo elenco. A produção teve boa recepção da mídia e conseguiu honrar o texto original. Dessa forma, trouxe nostalgia a tantos que cresceram ouvindo as canções. Aliás, Julianne Hough e Aaron Tveit venceram o MTV Awards pelo melhor número musical ao som de You’re The One That I Want.

Se a nostalgia bateu forte em você como em nós, nossa missão está cumprida. Continue acompanhando o Mix de Filmes para mais novidades. Em breve, traremos mais do mundo da música para vocês. Um grande abraço e até lá…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *